segunda-feira, 1 de junho de 2009

Notícias Africanas 05 (Colcha de Retalhos)



Feliz 01 de junho!
Sim, aqui hoje se comemora o Dia da Criança!

Eu não sabia, até agora, que essa é a data oficial da ONU para o Dia Mundial da Criança! Uma pena que o mundo não a celebre ao mesmo tempo, se unindo em uma luta conjunta por um mundo mais digno e justo para elas e, conseqüentemente, para tod@s nós!

Por aqui tivemos festa em praça pública, organizada por uma moça que admiro muito chamada Nina Yengo. Ela é minha companheira de trabalho e desde que a conheci seu principal tema são as crianças, principalmente as que vivem na rua. Ela queria que ao menos uma vez as crianças pudessem comemorar o dia a brincar, com uma refeição e uma vestimenta. Nina colocou familiares e amigos loucos com seu empenho, mas cumpriu seu objetivo! Sábado e domingo foram dias de festa!

As crianças aqui brincam e dançam muito, e não só em dia de festa! Muita brincadeira de roda, corda, dança e Cia. Nas escolas ainda se brinca pra valer, diferente do que acontece no Brasil. Eu aos 12 anos, mesmo morando no interior do Brasil, só brincava de roda e corda na rua, não na escola. Aqui sim! Então imaginem o tanto de músicas diferentes que acompanham essas brincadeiras! Dezenas e mais dezenas! Algumas soam conhecidas, provavelmente devido ao colonizador em comum, o português. Outras músicas são completa novidade, quer pela letra, quer pelo idioma. Uma verdadeira riqueza!

E já que eu falei de música da cultura popular infantil, vamos a Marrabenta. Marrabenta é um ritmo local muito popular e querido. Segundo eles não existe festa que não toque marrabenta. O jeito de dançar é primo de nosso funck carioca e, assim como ele, dependendo dos bailarinos a dança passa de sensual para vulgar... Bem, mas seja como for, a música é tocada até em festa da de casamento de noivos da Igreja Assembléia de Deus. Quem me contou esse fato foi um amigo brasileiro assembleiano, que veio trabalhar aqui e ao comparecer ao casamento de um colega de sua igreja se surpreendeu com o som e, mais ainda, com a presença da dança na festa do casamento.

Segundo uma filmagem de 1970, que retrata o surgimento da marrabenta ,tudo começou com uma moça que não conseguia um namorado. Ela foi a um curandeiro que diagnosticou que o problema estava em suas pernas, a curou e solicitou que ela dançasse (algo como o “levanta-te e anda” de Jesus). Ela se levantou, dançou mexendo as pernas que antes estavam doentes e, dançando, conseguiu a atenção dos rapazes.

Já mais atualmente, na onda de valorização do país e da cultura Moçambicana, o Mc Roger gravou uma música de muito sucesso, cuja letra começa assim: “Mc Roger na área, que havia de ser, para valorizar o que é nosso! A marrabenta está de boa saúde e recomenda-se!”. A música segue dizendo que “A marrabenta representa o que é nosso” e que o ritmo tem que ser ensinado para as crianças para que elas aprendam a gostar do que é daqui e tenham boa auto-estima!

Os dois vídeos citados acima foram postados aqui no blog. Assim os mais interessados podem fazer um paralelo da batida atual, em relação a filmagem de 1970. Também podem conferir no clipe do Mc os adultos dançando de forma mais sensual e as crianças dançando de forma mais tradicional, vestidas nas também tradicionais capulanas.

E para terminar a colcha de retalhos, vamos às capulanas! Capulanas são tecidos tradicionais aqui de Moçambique. Medem em torno de 1m por 1,50m, são muito coloridos e servem para uma variedade imensa de coisas. A forma mais popular de uso in natura é amarrado na cintura como saia, amarrado no tronco para carregar os bebês e jogado nos ombros como xale em dias de frio. Mas, fora isso, também são confeccionadas camisas masculinas, vestidos para festas, toalhas de mesa, cortinas para janelas e mais o que a imaginação mandar. Tanto que esses dias estávamos a imaginar como seria ir a uma festa vestid@ de capulana e ao entrar no lugar ver que a estampa de sua roupa é a mesma das toalhas de mesa! Bem, isso aqui não deve ser o fim-do-mundo! Já para a gente...

Ah, e a última que fique sabendo é que em um funeral a mulher sempre tem que ir vestida de capulana. Caso contrário, ela se sente nua, deslocada, como que se não estivesse verdadeiramente respeitando aquele momento de morte! Fiquei a construir a cena em minha cabeça, dezenas de mulheres lindamente vestidas em suas capulanas coloridas, a andar no cortejo... Talvez a cantar, talvez a bater palmas... Só sei que me deu uma vontade danada de assistir um funeral. Sei que é uma vontade muito estranha, mas a curiosidade fala mais alto! Quem sabe até ir embora, ainda que não deseje a morte de ninguém, eu não tenha oportunidade de assistir a algum, de prefêrencia de um completo estranho! E se isso acontecer, claro que vou dividir com vocês!

Beijos ao som da marrabenta!
.

11 comentários:

Uma mulher disse...

é maravilhoso conhecer Moçambique pelo seu olhar, obrigada! beijosss

Ana disse...

Eu quero uma capulana!!! :) Brincadeiras à parte, adorei o post! Beijoca da Ana.

Anônimo disse...

Olha é admirável o seu trabalho em passar para as pessoas que estão em outros Países de como é a realidade de Moçambique.Tudo lindooo, Parabéns..beijos Paula Cristina

Zé Fernando... disse...

nossaaaa!!! hahahahaha... eu tbm quero uma capulana masculina!!! hahahaha... gostei muito de sua noticia africana! feliz dia minha criancinha... hahahahaa saudades de voce... tem que procurar um funeral e me conta depois...! beijo!

maria del carmen disse...

muy buenotener un dia con musica y alegria de los niños y niñas,tenemos que aprender mucho mas de ellos y esas culturas que a pesar de todo lo que viven,pueden disfrutar de esa manera.
un beso

Fantinha disse...

Criatura, que saudade!! Ainda não entendi direito o que vc está fazendo aí, mas eu também não entendo o que ando fazendo por aqui. Então... Seu blog é rosa por demais. Poderia ter um laranja, um verde. Estou muito feliz de ter notícias suas todo mês (a gente se vê mais com vc aí do que morando na mesma cidade, né?). Só vc mesmo pra mandar umas frases lá de dentro... essa última do Guimarães Rosa eu escrevia pros amigos no final do século passado e tinha me passado.
beijo grande nas suas meninas e não se esqueça que eu amo vc do fundo do meu coração.
Normalista

Janaína Leslão disse...

Para todos os "comentaristas" acima:
1)Uma mulher- bem, na verdade, meus devaneios sobre moçambique, mas que bom que gostas... hehe
2)Ana- acho que vou levar um carregamento e fazer um dim dim com as capulanas, que tal?
3)Paula- Certo, certo, não vou agradecer mais o carinho! Só dizer que nos faz feliz!
4)Zé Auau- acho que vou levar uma saia pra vc de propósito!
5)Mary- sim, essas crianças são exemplo de superação!!
6)Normalista- é bom estar "Tão longe, tão perto". E quando entender o que tá fazendo aí, me conte... Talvez você me ajude no insigth! heheh

isadora disse...

Putz, capulana é lindo!
Pior que estou sem no micro, que tá podre, então só pude ver os vídeos! depois vou ouvir. adorei o visual do clipe do mc roger. moçambique quer marrabenta! isso ae! hehehe.
Vontade de conhecer o mundo inteiro lendo esses posts!

isadora disse...

ops, quis dizer que estou sem SOM no micro.

Anônimo disse...

Pode reservar a minha! Ou melhor, as minhas, porque vou precisar de 2, senão serei assassinada durante a noite! (risos) É uma boa maneira de fazer uma graninha na volta, mesmo! Beijocas da Ana

Janaína Leslão disse...

Ana, entendo muito questões de assassinatos noturnos! rsrsr