segunda-feira, 30 de maio de 2011

Vídeos do Kit Anti-Homofobia


Pra quem ainda não viu os vídeos "absurdos" do chamado "kit-gay", eis uma oportunidade.

Ainda estou procurando algo de verdadeiramente inadequado. A gente sempre acha uma ou outra coisinha que poderia estar melhor, mas convenhamos que são preciosismos. Coisa que bastaria a presidenta falar ao MEC: "_Por favor, dê uma ajustadinha aqui!". Muito diferente que suspender o material (e jogar na vala o trabalho de toda uma equipe responsável e articulada).

Se o material fosse um perigo social, o CFP- Conselho Federal de Psicologia não teria sido FAVORÁVEL a seu conteúdo (para ler o parecer do Conselho, clique AQUI). Fazer psicologia de botiquim e dizer o que vier na cabeça em nome dela, todo mundo pode. Agora, consultar as fontes, como a que citei, por exemplo, seria um bom começo.

Também queria saber onde tem "propaganda de opção sexual", como diria a Presidenta Dilma. Encontrei foi material para que as pessoas vivam bem consigo mesmas, apesar de ter sua sexualidade abominada pela sociedade.

Inclusive, ter novelas, filmes, propagandas de tv, cartilha na escola, revistas femininas, jornais de toda ordem apresentando, quase que na totalidade, apenas a realidade de casais heterossexuais, não seria "propaganda de opção sexual"? E dar direito civil pleno a apenas esses casais, como poderíamos chamar isso?

Já sobre os tais "costumes" sociais... Isso vale também para o nosso "costume" de espancar criança, matar mulheres, pagar menos a pessoas negras, jogar nossos jovens na cadeia, roubar dos cofres públicos?

Abaixo os vídeos da campanha e mais dois, de brinde.

VÍDEOS ESCOLA SEM HOMOFOBIA

Torpedo




Encontrando Bianca




Probabilidade




OUTROS VÍDEOS:

Suicídio de Garoto Gay




Propaganda anti bullying

4 comentários:

Orfeu disse...

Oi Jana, os vídeos são ótimos, perfeitos, esclarecedores. Pena o Brasil viver este momento político horroroso. Não somos vítimas apenas da homofobia, mas também da corrupção e joguetes políticos, o que mostra que tudo está enredado mesmo no poder. Mais uma vez, sexo, sexualidade, são usadas para abafar e desviar a atençào de outros interesses espúrdios. Bjs, Fernando

Fundamentação Jurídica das decisões disse...

Vi os vídeos postados.
Ao meu ver, somente o vídeo sobre probabilidade é complicado.
Mas ainda sim os vídeos parecem tendenciosos.
Para mim, a propaganda anti bullying da Irlanda, trabalha melhor a questão, sem tentar tendenciar, para a opção homossexual.
Acho que os vídeos feitos aqui no Brasil são sim tendenciosos, o que eles retratam são as dúvidas sexuais dos adolescentes e isto ao meu ver deve ser feito por um psicólogo, e não por uma propaganda.
Penso que temos que abordar o tema de forma mais isenta, como o vídeo da Irlanda, que dá o recado anti bullying, e não adentra no mérito psicológico da questão, das dúvidas dos adolescentes quanto a sua sexualidade, pois isso ao meu ver não é função do governo, mais sim de um profissional gabaritado para tanto.
O governo deve conter o bullying, mas não adentrar no mérito da escolha sexual, pois isto tem de ser feito por cada um, opções sexuais existem e cabe a cada um optar por ela, sob pena de o governo tendenciar para um ou outro lado, o que não pode ocorrer.
Vivemos hoje a homofobia, em virtude do posicionamento do governo e da mídia, pelo heterossexualismo, se começarmos a desconstruir esta idéia, compensando o que foi feito outrora, estaremos efetuando o mesmo erro.
Enquanto cidadãos temos sim que abordar o tema, e evitar o bullying, mas sem adentrar nas escolhas e dúvidas quanto a sexualidade, pois isto é pessoal de cada um, e diante das dúvidas quanto a isto, existem profissionais gabaritados para esta função, para nos ajudar a efetuarmos nossas escolhas.

Marcelo Peixoto disse...

Desculpe-me Fundações jurídicas das decisões; à medida que você coloca a orientação sexual diferenciada como opção seus argumentos caem por terra.
Ninguém escolhe ser agredido e excluído na vida.
Marcelo Peixoto

SOMOS LGBT ARARAS disse...

Nossa não tem como não se emocionar vendo essas cenas e saber que, como eu passei por isso também muitas outras pessoas passam por esses abusos e muitos outros piores devido a falta de respeito por pessoas que não aceitam as diferenças.