sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Notícias Africanas 09 (Reino da Suazilândia)


Chegou o momento de falar sobre a Suazilândia! Como muitas pessoas, eu nem sabia da existência da Suazi, antes de chegar a Moçambique.

Suazilândia é um país bem pequenininho, rodeado quase que inteiramente pela África do Sul, exceto a leste, onde faz fronteira com Moçambique. Tudo o que me informaram sobre esse país antes de minha partida é que lá era frio e montanhoso. Logo pensei: “_Serras gaúchas aí vamos nós!!"

Com um final de semana prolongado, lá fomos nós em busca de novos ares e colocar no passaporte um novo carimbo! Boléia de amigos no sábado cedo e uma pequena viagem de 1h até a fronteira entre os dois países citados.

Enquanto eu “fazia a fronteira” observei que na construção havia duas fotos enquadradas na parede. Em uma delas estava Mswati III, o rei atual, e na outra o rei anterior, seu pai. E o mais interessante é que aqui o rei não é “de enfeite”! O país tem uma monarquia absolutista mesmo. Nada tem maior, ou igual poder, do que o rei, que, assim, concentra em sua própria pessoa os poderes legislativo, executivo e judiciário! Poder absoluto, ainda que em um pequeno território!

O rei tem treze esposas. Ao menos esse era o número a um ano atrás. Talvez alguma outra já tenha se juntado a elas. Disseram-me que tem um dia no ano que as famílias levam suas mulheres para a praça, onde o rei escolherá uma delas para se casar. Inclusive, depois de modificar uma lei que proibia o casamento de menores de 18 anos, ele mesmo se casou com uma moça de 17. Mas que fique dito que aqui privilégio do rei é escolher a esposa na praça, porém a poligamia é permitida a todos os homens.

E, já no caminho, pudemos observar que Mswati III é onipresente! Isso porque seu rosto está por tudo o que é lado, inclusive na estampa das capulanas que as pessoas usam ao caminhar pela estrada. Estrada essa sempre com uma ou outra pessoa, porque me pareceu que é tudo muito espalhado. Uma casinha aqui, outra lááá ao longe. Casinhas de caniço ou de barro, cobertas com teto de palha. Palha que está à venda (?) ao longo de toda estrada... Eu, em minha ingenuidade, achei que fosse uma espécie de feno, pra alimentar as vacas. Ai, ai...

Ah, as vacas! Elas não ficam em cercados. Para desespero dos motoristas vivem aos montes e por toda a estrada. Algumas são marcadas a ferro, outras, não tem nenhum sinal visível para olhos mal treinados como os meus. Difícil saber de quem é a vaca. Andam sozinhas entre, ao lado e na estrada. Não tem medo dos carros que, pacientemente, tem que parar para que as bovinas passarem... Ca da u ma a se u tem po... ...

A capital do país, Mbabane, é também bem pequena. Lembrou-me as pequenas cidades do interior de São Paulo. Eu não sei quantos habitantes tem a cidade, mas o país tem pouco mais de um milhão. E quando eu digo que o país é pequeno, é mesmo! Um pouquinho mais que 3 vezes o Distrito Federal (Brasil).

O povo vive do que produz em seu quintal, de suas vacas e do artesanato. As esculturas e os demais objetos trabalhados por eles são absurdamente lindos, porém os batiques não são tão bonitos quanto os dos moçambicanos. Falam inglês e suazi. Os produtos industrializados são advindos maciçamente da África do Sul.

É uma gente muito, mas muito, simpática e bonita. Aqui as mulheres carecas também são freqüentes, o que destoa das tranças de Moçambique e do laquê da África do Sul. O país tem um altíssimo índice de HIV, algo como 35% da população vive com o vírus. Como eu brincava essa semana com uma amiga, o país é uma bomba: gente simpática, bonita e com 35% de HIV!! Seria cômico se não fosse trágico...

Bem, só posso dizer que desfrutar da arte, do artesanato e da estada na terra dos suazis foi muito bom! Pena que final de semana prolongado dura pouco.

Quando alguém estiver por essas bandas, visitando algum país mais conhecido, dê uma voltinha por lá! Cruza-se a Suazi de leste a oeste em apenas 4 horas! "_Vala pena!"- como diriam os vizinhos moçambicanos!
.

.

4 comentários:

Proprium disse...

Lindo janaina. Eu vivi na swazi, vou muito la nas férias, amo aquela terra. Lembro-me quando conheci meus amigos de lá, eles cumprimentavam-me com um abraço, à princípio estranhei, mas hoje tenho tanta saudade daquele calor. As chuvas, o pôr-do-sol na Swazi é único. Abraços.

Isadora disse...

well, well, eu já tinha ouvido falar da suazilândia nalgum texto de antropologia... mas confesso que me era um ilustre desconhecido, que agora conheço um pouquinho melhor.
beijos!

Cristiane Gonçalves disse...

delícia ler você depois de ter vivido a experiência junto e compartilhado nossas sensações sobre os cantos e encantos... fiquei MUITO com a sensação de quero mais da Swazi! beijo, minha flor!
Viu?????????????? escrevi!!!! hehehehehehehehehe

Cruela Veneno da Silva disse...

hummm
andando pela áfrica?

vou vasculhar

beijos